terça-feira, 18 de setembro de 2012

As aves de Sussuarana


Acompanhe as imagens da esquerda para a direita e localiza o nome de cada ave: Anu-Preto, Beija-flor, Bem te vi, Caboclinho, Carcará, Cardeal, Cuiubinha, Gavião-Peneira, Garrincha, Papa-Capim, Pombo, Sabiá verdadeira, Sangue-de-boi, Saracura do Mato, Galinha e Patos. Estas foram as aves que junto com meu pai pude fazer esta relação. Embora o nome de nosso bairro ser de um felino, as espécies de animais são bem diversificadas aqui em nosso território. Sabemos que com sua ajuda a lista pode aumentar. Quando Sussuarana era mato em sua maior parte muitas aves podiam ser vistas: O Anu por exemplo, muitas vezes eu confundia com um urubu por ser preto porém menor (alias, os urubus imperavam nos céus especialmente quando tinha refeição aqui embaixo); alguns pássaros eram cassados para ser domesticados tais como: o Papa-Capim, o Caboclinho (Cabôcolinho, no popular), a Cuiubinha e o Cardeal; O Sangue-de-Boi era um dos mais bonitos devido sua penugem bem vermelha (o que caracteriza o seu nome) porém não era domesticado assim como a Garrincha (esta apesar de muitas não era muito estimada devido o mal cheiro que ela possui – dizia a minha mãe na época; As vezes quando olhava pro céu avistava uma ave que ficava parado no céu. Minha mãe me explicava que se tratava do Gavião Peneira pois fica “peneirando” no céu, observando sua presa; já as aves “daqui de baixo” tais como galinha, pato e codorna também se destacam porém só a primeira ficou no paladar dos meus conterrâneos tanto para comer quanto para criação; A Saracura eu nunca vi mais registro aqui através dos argumentos de meu pai; As grandes transformações sofridas em nossos bairros tais como as construções de conjuntos habitacionais também influenciam no comportamento destes animais, por exemplo: já reparou que com o desmatamento pouco (ou nunca mais) se vê dos morcegos? Sei que é um mamífero mais aqui quero por em evidencia. Com a presença dos prédios muitos pombos agora encontram abrigos para seus filhotes. Gaviões do tipo Carcará também é muito presente e os vejo várias vezes pousando nas grandes antenas; encerro aqui citando mais uma ave que não foi figurada no início mais que todas as noites sobrevoam nossas casas: a Coruja, que é símbolo de sabedoria por conseguir girar sua cabeça quase totalmente. Assim como ela, possamos observar as transformações que ocorrem ao nosso redor especialmente o impacto ambiental em nossos bairro de Sussuarana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário